domingo, outubro 22, 2006

A IVG e suas praticantes...


Preconceito nº 2:
As mulheres que escolhem fazer uma interrupção voluntária são sado-masoquistas.
Nada mais descabido!
Alguém acredita que uma mulher faz tal coisa como quem toma a pílula?!
Alguém acredita que uma mulher interrompe uma gravidez apenas por capricho?!
Alguém acredita que uma IVG pode ser encarada como algo banal?
E porque há gente mesmo muito distraída:
Uma mulher que escolheu interromper uma gravidez por razões que ela saberá, pode sempre vir a ser ou continuar a ser uma Mãe fantástica.
É prova de maturidade civilizacional escolher o momento da maternidade!
Ou não?

10 comentários:

nunofigueiredo disse...

A data é que tinha que ser depois do natal!

Ele há coisas que não se pode discutir em certas datas!

Isso é sinal de alguma coisa!

No meu humilde ponto de vista é HIPOCRISIA!


Porque é que os que são contra a penalização dizem IVG e os que são a favor dizem ABORTO?

Este jogo de palavras é mal feito e busca votos no referendo sem informação! que é para isso que serve o referendo. Pois legitimidade para legislar já a assembleia da republica tem!

Usar a IVG/ABORTO como metodo contraceptivo não se pode de maneira nenhuma aceitar. E para corrigir isso não é preciso qualquer referendo.

Eduardo Leal disse...

Nuno Figueiredo,

Não percebo muito bem os seus comentários.
Porque é que a data deveria ser depois do natal?
Eu entendo que os assuntos importantes devem ser discutidos SEMPRE!

E porque é que dizer IVG é hipocrisia?

Um Aborto não é necessariamente uma interrupção voluntária de gravidez.

Até porque, como bem imaginará e com toda a carga dramática que isso representa, uma interrupção involuntária da gravidez é muito dolorosa para os pais.

Hipocrisia é defender a manutenção de uma lei que considera que só os filhos das violações não merecem viver!

Hipocrisia é defender a manutenção de uma lei e depois escolher não a cumprir. Porque se a lei actual se cumprisse, estavam na cadeia milhares de homens e mulheres.

Hipocrisia é fechar os olhos a todos os casos de complicações pós-aborto que chegam às urgência, apenas porque as mulheres que, desesperadas, fazem ABORTO nas condições mais desumanas acabam a esvair-se em sangue nos nossos hospitais.

Hipocrisia é afirmar que uma lei mais Humana leva a mais abortos, quando se sabe que é exactamente o contrário.

Hipocrisia é não afirmar a despenalização em nome de um negócio sujo que só pode sobreviver enquanto ilegal.

Desculpe Nuno Figueiredo, mas esta questão a mim preocupa-me antes, durante e após o Natal.

E, precisamente porque um dia um Homem nasceu para afirmar a tolerância e o juízo de outro mais alto, vale a pena perguntar-mo-nos a nós próprios se poderemos julgar os outros de forma tão leviana como os defensores do NÃO parecem querer continuar a fazer.

Anónimo disse...

Quando era pequeno e antes do 25 de arbil vivia na obscuridade, numa aldeia do interior. Tínhamos animais em casa, os nossos e os vadios que por lá passavam para mendigar o prato de comida
Acontece que naquele tempo de trevas, sem acesso à informação, não conhecíamos (porque não existiam clínicas para animais lá na parvónia) os contraceptivos e as "modernas" operações para os animais não engravidarem.
Era norma quando as nossas bichas (e as vadias que por lá paravam) engravidavam sem querer e porque não estavam preparadas para a maternidade (elas e os donos), ter que nos desfazer das crias.
Era um processo horroroso que me marcou para o resto da vida...
Ainda me lembro dos cãezinhos e gatinhos que matei à nascença! A sério, metia-os em sacos com pedras lá dentro e atirava-os à água. Alguns conseguiam furar o bloqueio do nó atado com nervosismo e apareciam à tona da agua procurando sobreviver, mas havia sempre alguém que com um pau os empurrava para o fundo...As mães parideiras (bichos, portanto) não eram as mesmas durante dias! Choravam, choravam porque sabiam do destino das suas crias!
Eram tempos fodidos de um obscurantismo total
Felizmente que veio o 25 de arbil, e a democracia, e agora podemos escolher...mas na realidade nada apaga as marcas com que fiquei e que me irão acompanhar toda a vida

Concluindo, o Eduardo tem razão, ninguém faz abortos por capricho mas porque a isso é obrigada!
Como seres evoluídos e bem informados havemos de ultrapassar o mundo das trevas.
Viva a modernidade!

P.s . (Ando a tratar-me num especialista porque há alturas que só me apetece matar! Um amigo já me aconselhou a adorar alguns famosos assassinos da história, eu disse-lhe que já tinha tentado isso mas ele como me conhece disse-me logo que tinham que ser dos politicamente correctos, portanto dos bons...assassinos)!

Oscar

nunofigueiredo disse...

foi erro de sinalização!

na verdade estava a questionar a data.
Realmente porque que é que não pode ser o referendo antes do natal.

a hipocrisia a que me referia era essa de não se poder discutir e referendar na epoca natalicia.

concordo com todos os tipos de hipocrisia a que se refere e mais uma. a de haver poder legislativo e não se ter coragem de o aplicar. os deputados tem poder para isso.

a Questão da IGV/ABORTO era mais no sentido do aproveitamento do jogo das palavras que as duas partes ja começaram a fazer.


Na minha opinião os referendos valem pelo tempo de antena que se dá para melhor informar as pessoas. Por isso fui a favor do referendo nas questões europeias(constituição, a adesão, entre outros assuntos, na regionalização e tb no aborto. Embora neste assunto só o entenda como forma de informar para formar. Porque para legislar já a assembleia da republica tem legitimidade.

pintoribeiro disse...

Será, mas o critério da maturidade será muito discutível...civilizacional?...um abraço,

Sulista disse...

Eduardo Leal dixit !

Bjs

Carmen disse...

Com tantas declarações ridículas, distorções e falsidades faz falta quem ajude a esclarecer preconceitos!!
Principalmente se o for fazendo forma clara!
Continua porque é importante separar as águas!!

Anónimo disse...

Tens toda a razão!

A mulher escolhe o que quer e não é por isso que se torna uma pessoa pior!

tb disse...

sunscrevo e assino por baixo a opinião do autor deste blog.
Um assunto que interessa a toda a sociedade, homens e mulheres, mas não interessa mesmo nada a quem tem leis de falta de liberdade que não permite que os seus "trabalhadores" se casem e por isso...
Um abraço

Miguel disse...

Nem mais, Eduardo!
Exige-se o SIM ao IVG/Aborto!

Mais em:

http://umsonhochamadomatilde.blogspot.com/2006/10/tshirt-da-semana_15.html

Um abraço sulista,
Miguel

PS: Amanhã há mais novidades!
Passa lá n´A Minha Matilde