segunda-feira, março 05, 2007

O fruto proibido!


Por princípio, não gosto de proibições!


Não sei se é por ter nascido na década de sessenta, ainda o Maio corria nos ventos da Europa...


Não deve ser. Porque o Maio só chegou ao nosso Burgo já eu era espigadote!


Pode ter sido por ter vivido os meus primeiros doze anos em tempos de ditadura (maldita, mas pouco dura que os meus Pais não provocavam o sistema... juraram inclusivamente não ser comunistas para poder ensinar as futuras gerações de guerreiros coloniais).

Até pode ter sido por ter amadurecido depois da madrugada de Abril... ter conhecido o dogmatismo de alguns que se diziam pela Liberdade... a arrogância de outros que criticavam esses mesmos dogmatismos e anunciavam que a democracia é um verbo de encher...

Pode Ser!

Pode ter sido por tantas razões!

Mas a verdade é que eu continuo a achar que devia ser proibido proibir!

Até porque, normalmente, cá pela Lusitana Nação, não resolve.

É proibido andar em excesso de velocidade nas auto-estradas, estradas Nacionais e dentro das localidades... NOTA-SE!

É proibido deitar lixo para a Rua, para as praias, nas montanhas... NOTA-SE!

É proibido buzinar dentro das cidades... NOTA-SE!

É proibido passear cães perigosos sem açaime e trela... NOTA-SE!

Mas estes exemplos são claros atentados ao bem comum!

São casos em que a responsabilidade individual colide directamente com os interesses colectivos.

Nestes casos... mais importante que proibir é responsabilizar!

Educar!

Que, de facto, a cultura é muito mal tratada pela nosso rectângulo Luso.


Mas este post, não pretende focar os casos da violação dos direitos dos outros.

Pretende tratar de um tema, polémico, mas que nos toca a todos, na medida em que se refere a um dos maiores flagelos da nossa era: A Droga.

Valerá a pena proibir?!

E, proibindo... resolvemos o problema?!

Quando apanhamos os infractores, nomeadamente os toxicodependentes, acabamos com o problema?!

Quando, de longe a longe, são presos os grandes traficantes, acabamos com o negócio?!

Que não haja dúvidas! A droga é um flagelo! Uma chaga social que mina, principalmente, os mais jovens e lhes compromete, de forma irreparável, os melhores anos da vida.

A droga ameaça as famílias. Todas! As desatentas, claro, porque chega sorrateira e se instala rapidamente, mas também as mais atentas, porque está ainda por explicar extensivamente o fenómeno da adição.

A droga desarticula o tecido social. Cria desconfiança entre os cidadãos, onera os contribuintes, entope os hospitais com casos desesperados e que teimam em regressar até à desgraça final!

E é por isso que eu pergunto! E é uma primeira pergunta de muitas outras que irei fazendo...

Não valerá a pena regulamentar o uso!

Despenalizar o uso!

Fornecer a droga a preços reais a quem não pode fugir dela?!

E criminalizar apenas os que incitam ao consumo?!

Porquê?!

Antes de mais... porque cada ser humano tem direito à escolha!

Mesmo que a sua escolha seja um caminho impossível!

7 comentários:

Anónimo disse...

Já cá faltava (mas sem novidade, claro) – Depois do aborto, a liberalização da droga, a seguir o casamento "gay", depois a adopção de crianças por parte dos ditos..Com a "educação" apropriada a instauração da pedofilia...
E eu que já tinha deixado de fumar agora que vai ser proibido lá terei que voltar. Esta coisa de proibir sempre deu no que deu...!

Oskar

Carmen disse...

ora, porquê que o meu comentário anterior não ficou registrado??
O direito á escolha deveria ser o primeiro dos direitos a respeitar.
E se proibir chegasse para evitar, era mesmo bom, mas não chega!
e se não fosse tão vantajoso para alguns este negócio, concerteza que a sua dimensão seria bem menos esmagadora!!!

Carmen disse...

FELIZ DIA DA MULHER para todas as visitantes!!
Para todos um bom dia para reflectir sobre o tema!

al cardoso disse...

De facto para que servem tantas proibicoes se nao sao para cumprir?

Nos sempre gostamos de estar na primeira linha em leis sobre tudo e mais alguma coisa, que nunca se cumprem.
O que realmente necessitamos e uma "verdadeira" educacao civica, ou seja uma mudanca de mentalidade.
Bastaria lembrarmo-nos daquele antigo dito"

"Nao facas aos outros o que nao gostarias que te fizessem!"

Ou como dizia o Cristo:

"Ama ou outros como a ti mesmo!"

Mas era simples de mais, creio eu!

Um abraco d'Algodres.

Suevo disse...

O proximo passo que a esquerda europeia dará será o da legalização dos homicidios, afinal de contas há homicidios e há, para que proibi-los?

Ridiculo!

Eduardo Leal disse...

Caro Suevo,

Parece-me que faz leituras um pouco excessivas do pensamento dos outros...

Talvez seja um vício nacionalista...

Mas, não o conhecendo bem, não posso afirmá-lo.

O meu princípio base é o respeito pela liberdade individual.

Homicídio é um atentado a essa mesma liberdade.

Saudações democráticas.

~*Vica*~ disse...

Oh, amigo, não sei quem é Lona Lovich e não tem no YouTube!! Como vou fazer para escutar?? E mande-me outras sugestões!! Beijos.