sábado, maio 13, 2006

A ibéria... às armas... às armas...


Venho hoje, aqui, assim de forma rápida, curta e grossa... manifestar a minha mais profunda indignação pela falta de tolerância de muitos dos que se dizem Portugueses.
Temos um ministro que, há poucos dias, se atreveu a defender uma posição mais "iberista".
Caiu o Carmo e a Trindade porque até parece que, nos tempos que correm, a nossa velha nação de mil anos de história, conduz os seus destinos...
Não posso deixar de sorrir quando aqueles que defendem a Pátria contra a inimiga Espanha aqui ao lado o fazem afirmando a "Independência Nacional!.
É como se voltasse atrás no filme... mas agora visse os que antes defenderam o outro lado da barricada agora a entricheirarem-se por detrás dos princípios dos outros.

Claro está que tudo isto não passa de uma bela fita de cinema, assim de uns "bonecos de luz" onde, pela vertigem das imagens a passar depressa, não nos apercebessemos das imagens reais por detrás do filme.

A todos os que se indignam com a possível perda da independência... deixem-me dizer: Não podemos perder o que já não temos!

O que me parece valer a pena... é encontrar aquilo que nos une. Uma dezena de línguas de raíz comum... umas formas de sentir aqui e ali mais aproximadas... e, sobretudo, uma península inteira feita de muitos povos diferentes que podem, um dia, se quiserem muito... ser felizes todos juntos.

Eu acredito na força da minha família... na grandeza do meu bairro... na pujança da minha cidade... na determinação da minha província, na nobreza do meu País e, também, na alegria de compreender os meus irmãos Galegos, Asturianos, catalães e Andaluzes.

Será que sou outro Miguel de Vasconcelos?!

É pela mão da mais fácil demagogia da direita de pacotilha, que nuns dias se lembra do capitalismo globalizante e noutros acorda virada para o mais idiota dos nacionalismos que vamos vendo estes temas cair na Praça pública.
E porque ainda é proíbido dizer bem das outras tribos...
às Armas... ás armas que os traidores andam aí!...

16 comentários:

Carmen disse...

Quem mal se conhece e pouco gosta de si, tem mais dificuldades de apreciar os outros. Por medo, quem sabe!?
E nós, portugueses,tem uma auto-estima tão baixa, que tudo nos parece uma ameaça.

nunofigueiredo disse...

olá!
até concordo com o meu amigo.
Porem ontem ao ver a transmissão do grande prémio de F1 em Espanha, dirão alguns na Catalunha, fico indigando com atitude do piloto Espanhol fernando alonso para com o piloto Português tiago monteiro.
E lá se foi a concordancia.

Então parabens pela dobradinha.

abraço a todos!

{-Sutra-} disse...

Não gosto de passar sem comentar o texto, mas hoje é só mesmo o convite para o festejo de aniversário do meu site, porque não dá mesmo tempo para mais.

Beijo doce

al cardoso disse...

Se os espanhois fossem menos arrogantes, eu ate poderia gostar deles, concordo que nao podemos perder aquilo que nao temos, de facto para ser independentes temos que se-lo economicamente, mas nao sera pelo facto de economicamente nos dominarem que irei gostar dos "nuestros hermanos", o que deveriamos era seguir o seu exemplo e desenvolvermo-nos e, nunca pensar que so pelo facto de nos juntar-mos a eles formando um unico pais todos os nossos problemas estariam resolvidos.
No entanto admito que a sua utopia, tinha algo de interessante se, como disse os espanhois nao fossem tao arrogantes.

Anónimo disse...

Ser ou não ser, eis a puta da questão!
Ter ou não ter, eis a vossa solução.
Por quem sois, por quem sois?

Parolo

Eduardo Leal disse...

Nuno,

Não sei qual foi a atitude do espanhol com o nosso piloto.
Seguramente foi lamentável.
Mas esse tipo de coisas não deve envenenar uma relação entre povos.

Quanto à arrogância de que fala o Al Cardoso, parece-me que estaremos a falar de castelhanos que, apesar de ficarem tristes com isso, não são a espanha no seu todo.
Há muitos povos nesta jangada de pedra...

al cardoso disse...

Se o que o meu amigo preconiza e uma uniao com a Galiza, ate faria algum sentido, mas duvido que eles estejam pelos mesmos ajustes.
Continuo com a minha, vamos mas e trabalhar e ver se conseguimos por-nos ao mesmo nivel, e ja que estamos na mesma Uniao Europeia, nao ha necessidade de se falar em Iberismo, que mais que nunca e uma politica sem resultado, senao olhem para os Catalaes e Bascos.

Um abraco Beirao.

Sulista disse...

...a Ibéria...um "sonho", que não daria resultado. Até pq já nos "compraram" portugal a soldo. ;-(

post scriptum- Parabêns pela "dobradinha" :-)

BlueShell disse...

Até me arrepiei!!!

DEIXO BEIJOS TERNURENTOS
BShell
0oº0oº0oº0oº0oº0oº0oº0oº0oº0oº0oº

{-Sutra-} disse...

Onde vai já a nossa independência.
Temos a nossa história que ninguém nos tria. As nossas tradições, a nossa cultura, mas somos um povo do mundo.
Já o fomos há seculos atrás, continuamos a sê-lo.

Bom fim de semana :-)

Bj

JL disse...

Suponho que o ministro quis dizer que tem uma visão ibérica. E ainda bem... Afinal não podemos, eternamente, estar de costas voltadas para Espanha. Enquanto isso eles lá nos vão invadindo de novo pela economia.
A oposição, à falta de melhor, tinha que encontrar aqui um "fait divers". Enfim! Valha-nos Santo Ambrósio...

al cardoso disse...

O amigo Joao:
Provavelmente ele ate queria dizer isso, mas essa de dizer: "que temos a mesma historia e falamos a mesma lingua"!!!

Ja estou como voce diz: Valha-nos o Santo Ambrosio, ou outro qualquer Santo.

Carmen disse...

Não achas que tens trabalhado pouco???
Então que é isto, uma pessoa habitua-se a vir aos blogs e depois não há novidades???

Sulista disse...

Tambem acho!! A CArmen tem toda a razão!!
...assim, vou-me queixar ao sindicato (dos bloguistas)!

;-)

Anónimo disse...

best regards, nice info
» » »

Anónimo disse...

Excellent, love it! Broker commercial insurance maine mortgage Battery charger using solar energy design Forex new zealand dollar quote saxo 2005 honda accord invoice price http://www.patagoniaprimojacket.info ford truck